A Quinta Dimensão

 


 

 

A quinta dimensão é a dimensão da atemporalidade. Significa adentrar os portais do inconsciente, através da união dos opostos, e perceber a linearidade do tempo como um paradigma apenas, não mais como a única forma de perceber a existência. Na quinta dimensão, todo o espaço/tempo é vivenciado" no agora". Mas, embora a realidade nas dimensões superiores esteja sempre em transformação, aprendendo, a totalidade se comporta de maneira a ser percebida e interconectada em todos os níveis da existência.

Inserida na terceira dimensão, a consciência percebe a concretude, que é um estado da percepção da realidade gerado na dualidade espírito/matéria.

 
 
 
 


 

 

Na terceira dimensão, interagimos com o mundo através da percepção gerada em nossos cinco sentidos, e há sempre uma tese a ser testada, necessária para que a mente norteie as ações na realidade, que tem como base um tempo passado, um tempo presente e um tempo futuro. Pessoas ignorantes, que só conseguem perceber o mundo a partir de uma perspectiva linear, vez ou outra questionam as Artes Esotéricas, Invocando o poder da "ciência", tentando refutar a validade da espiritualidade para vida prática, como se todas as almas espiritualizadas não passassem de tolos, crédulos, farsantes.

De fato, as Artes de cura da quarta dimensão dão margem a essa interpretação errônea (de falha), pois na quarta dimensão, o Karma não permite que a alma evolua no mesmo contrato, na mesma vida em que ela está encarnada. A quarta dimensão possui essa limitação, fazendo com que aqueles que tentem enveredar pelo caminho espiritual em busca de soluções imediatas para seus problemas da vida concreta caiam no fracasso, na decepção com a religiosidade, e desistência de acreditar no espírito.

A quarta dimensão é uma dimensão de serviço, devoção, e confiança no espírito, pois nem sempre os resultados das boas ações kármicas se manifestam aos olhos da alma que trabalha para o bem.
Enquanto a percepção baseada na terceira dimensão pertence ao domínio da mente, na quarta dimensão a realidade adquire um sentido emocional, estimativo.

 
 
 
 


 

 

Na quarta dimensão, o coração toma forma, e não há mais uma limitação de percepção de outras realidades, porém ainda se concebe uma luta entre o espírito e a matéria, para que o ser evolua no espaço/tempo. Na quarta dimensão, o ser percebe que necessita abandonar a ignorância e o mal, pois reconhece que a realidade é uma construção vibracional daquilo que vivenciamos dentro de nós.

Na quarta dimensão, se percebe que Deus não é um juiz. Não há punição divina, pois aquilo que receberemos por nossos atos no futuro é o que criamos anteriormente, com nossas ações no presente. Na quarta dimensão, percebemos que somos responsáveis por nosso destino, para além da vida presente.

 
 
 

A Necessidade de Consciência

 
 


 

 

Metafisicamente, a quinta dimensão é um estágio da compreensão da Maestria. Na quinta dimensão, tudo depende da criação. Sem o ser que percebe, nenhuma realidade pode ser alterada, nesse limiar. O ser então torna-se um mediador entre as dimensões, e assim ele recria a realidade a partir da Maestria, do seu coração, fora da dualidade. A dualidade, da quarta dimensão e abaixo, é interpretada pelo mediador na quinta dimensão, e é necessária apenas como uma fase intermediária da existência, tal é a instabilidade de suas bases metafísicas.

O Universo em si, é relacional, e quando não há mediador, consciência, o Universo virtualmente não existe, pois ele não está relacionado a nenhuma forma de existência.

Na quinta dimensão, não há começo e nem fim. Não há acima e não há abaixo. Não há julgamento. Há apenas a Unidade. O coração abre-se para o Eu maior, para a percepção além do espaço/tempo, e torna-se um portal, capaz de mediar entre as dimensões e os Mundos, que são recriados "no Agora", que é multidimensional, e todos os tempos, verdades e realidades estão acontecendo ao mesmo tempo.

 
 
 

Adentrando Portais

 
 


 

 

Na consciência humana, o universo simbólico, produto da mente abstrata, é a linguagem que permite a comunicação da existência na quinta dimensão para os demais níveis da existência, em toda realidade do espaço/tempo. Através do símbolo, grandes pacotes de informação podem ser percebidos como "insights" pela mente concreta, quando esta se encontra em equilíbrio e relacionada a mente abstrata (também chamada de plano mental superior). O símbolo é uma estrutura atemporal, multidimensional, e no símbolo todas as verdades são validas a um só tempo. O símbolo é essencialmente subjetivo, é para dentro do coração.

É nesse "logos", no Universo simbólico, que os portais dimensionais são acessados, diante da suspensão dos estados ordinários de consciência e da predominância dos chamados estados de Êxtase, ou estados de transe.

 
 
 
 


 

 

Quando tratamos de mudar realidades, devemos compreender as chaves que definem os caminhos para operar as dimensões. Os instrumentos de transformação da quinta dimensão são incompreensíveis para aqueles que percebem o universo a partir dos paradigmas da terceira dimensão.

A realidade a partir da quinta dimensão só pode ser operada por aqueles que prepararam seus corpos magnéticos para receber a sobrecarga de energia necessária para elevar a consciência até as dimensões superiores da existência. É por essa simples razão que um iniciado é capaz de operar em realidades que outros temem.

 
 
 
 


 

 

Quando se atravessa o limiar da consciência para a quinta dimensão, pode-se operar em mundos que se interconectam, e a realidade concreta, sendo apenas o resultado último da realidade dimensional superior, responde consequentemente ao comando da quinta dimensão.

Então, a partir desse estágio, não é mais uma questão de controle. Na verdade o controle já foi abandonado há muito tempo na estrada que leva até a percepção da quinta dimensão. É precisamente pelo abandono do controle que se consegue operar em realidades paralelas.

 
 
 
 


 

 

Para se entrar nesse mundo, deve-se entrar despojado de qualquer condicionamento limitante. É por essa razão que um iniciado sempre necessitará de preparo e transformação antes de acessar o conhecimento metafísico. A resistência do ego na terceira dimensão é tão grande, que a estrada se torna árdua, e apenas aqueles que são disciplinados e humildes conseguem atravessá-la.

A quinta dimensão, é um mundo sem garantias, sem instrumentos. Quando operamos realidades desde a quinta dimensão, não há necessidade de "suportes materiais". Por exemplo: quando um iniciado da quarta dimensão pratica sua Arte, ou religião, uma série de ferramentas faz a ponte entre a realidade concreta e o universo da quinta dimensão. Se um iniciado usa uma oração, um louvor, uma vela, incenso, cristais, imagens físicas ou não físicas de Deus, ou Mestres, ou qualquer outra forma simbólica para se comunicar com o mundo "dos espíritos", é por esses instrumentos ou ferramentas que a ponte de comunicação é estabelecida. Na quarta dimensão, os instrumentos estão lá pela sua função, por que são parte do dogma.

 
 
 
 


 

 

Na quinta dimensão, não há ponte visível ou material entre os níveis da existência, não há necessidade de instrumentos ou ferramentas, NÃO HÁ NECESSIDADE DE SE SUBMETER A DEUS, e todos os dogmas podem ser abandonados, pois há o Eu em conexão com todos os níveis do espaço/tempo, criando e reinventando as realidades e os mundos, SENDO UNO COM DEUS.

Um iniciado operando na quinta dimensão é um portal nele mesmo, pois ele é consciente, e ESTÁ em muitas dimensões ao mesmo tempo. A coerência é a força motriz do iniciado que mantém todas as realidades conectadas e passíveis de serem operadas. A coerência depende de você ser o que é no Eu, no corpo, e no coração.

 
 
 
 


 

 

A coerência é uma manifestação da simetria. Estar em simetria é ser o mesmo em todos os níveis do espaço tempo. Os cristais de quartzo, por exemplo, mantém tamanha simetria em sua forma e constituição que são a mesma entidade, existindo em todas as dimensões a um só tempo. Melhor falando, um cristal de quartzo é um portal por que ele mantém sua forma, e é visto como um cristal, no mundo da realidade concreta e no mundo invisível do espírito.

 
 
 

Coerência:Portais do Espaço/Tempo

 
 


 

 

Os cristais e o coração que opera na quinta dimensão são o mesmo elemento, pois mantém simetria, coerência.

O espírito humano possui a chave para todas as formas de transformação na realidade concreta, quando o coração unido ao Eu superior incorpora o Amor/Luz, e dissolve todas as barreiras para compreensão das possibilidades criativas, para todos os desafios da vida comum.

Transformar a existência através da Luz requer em primeiro lugar que aceitemos a natureza divina do espírito humano, transferindo o Amor/Luz a todos aspectos da existência: espírito, mente, emoções, e instintos.

 
 
 
 


 

 

Quando o ser alcança o equilíbrio entre os níveis de consciência, desperta a habilidade de transferir a vibração magnética de grandes pacotes de informação pelo sistema de chakras, nadis e corpos energéticos (malha energética), incluindo o corpo físico, alcançando o estado de coerência.

O despertar de habilidades é precedido por saltos vibracionais que causam grande e rápida expansão do magnetismo do sistema (malha), fenômeno também chamado de ativação das fitas do DNA sutil.

Possuímos 12 camadas de DNA. A primeira destas camadas, chamada de camada 1, é a camada material, que pode ser vista através de microscópio eletrônico. As demais camadas (11), são magnéticas, e são os componentes invisíveis e vibracionais que amarram a estrutura do DNA ao plano magnético das dimensões superiores da existência.

 
 
 
 


 

 

As camadas de DNA sutil são ativadas de acordo com a capacidade da malha energética do iniciado em absorver em seu sistema as porções cada vez maiores de magnetismo, durante as fases de iniciação pelos Mestres do plano Astral Superior.

Durante esse processo de transformação, todos os sistemas densos de crenças passadas são liberados da malha energética, provocando catarses mais ou menos intensas, e caso o sistema energético do iniciado esteja muito congestionado pela densidade, não é raro a ocorrência de períodos de dores físicas e extremo cansaço, que provocam sensações de perda de controle e vulnerabilidade por parte daqueles que experimentam a transformação vibracional.

Uma vez que o sistema esteja adaptado a absorver energia sem colapsar, o iniciado adquire novas capacidades de comunicação com os planos superiores de consciência, seu sistema por completo torna-se capaz de mediar entre as dimensões, e as habilidades de cura são expandidas para além da realidade concreta percebida na terceira dimensão

 
 
 
 


 

 

A coerência se define portanto pelo despertar das capacidades de mediação entre as dimensões, capacidades estas que só podem ser liberadas pelo alinhamento, equilíbrio e ativação do sistema magnético como um todo: doze chakras, doze camadas de DNA, todos os nadis e todos os corpos sutis a um só tempo.

 
 
 

A Quinta Dimensão e os Estados Alterados de Consciência

 
 


 

 

Adentrar os portais dimensionais do plano Astral Superior é uma experiência de transcendência, só possível ao iniciado. A ele, e somente a ele, é dada a chave de entrada a esse mundo de percepções subjetivas, que contém em seu universo de possibilidades a semente do que germinará na realidade concreta.

Na quinta dimensão, espaço e tempo são reinventados de acordo com o poder do iniciado, que ao abandonar o estágio de ser em percepção, adquire poder e responsabilidade, tornando-se um Mago.

 
 
 
 


 

 

O Mago é o protagonista da sua própria malha energética em conexão construtiva com a malha das possibilidades. A malha do espaço tempo também é chamada de inconsciente coletivo, ou Akasha. É nesse universo que opera o iniciado diplomado em Mago.

O estado de Transe define a modalidade vibracional com que o Mago pode operar nas realidades akáshicas. Sem o Transe, não há conexão com as dimensões superiores de existência, não há poder e não há transformação.

 
 
 
 


 

 

O Transe, também chamado êxtase, é utilizado para que o Mago mude de estado de consciência e atinja planos mais baixos ou mais altos de existência. Esta "constante de consciência" permite ao Mago realizar sua "missão" ou seu objetivo no mundo Astral.

Há vários graus ou estados de êxtase: no Transe profundo (ondas gama e teta), o Mago pode assumir o poder e o comportamento de outros seres espirituais e realizar tarefas específicas que requerem grandes mudanças de poder. No Transe primário (ondas alpha), o Mago se mantém focado em diversas dimensões a um só tempo (visão mandálica) e opera em realidades alternativas enquanto interage, paralelamente, também na realidade concreta.

Tradicionalmente, o tipo de estado alterado de consciência que é alcançado através do som do tambor é associado ao ÊXTASE XAMÂNICO, onde o Xamã parte em viagem pelo Mundo Astral com o intuito de recuperar o poder (fragmentos de alma) de alguém que se acha desequilibrado ou doente; para guiar a alma de um morto para o mundo celestial; buscar respostas no Éter sobre eventos futuros, ou para aprender e buscar maestria em contato com os seres dos mundos espirituais mais elevados.

No ÊXTASE PROFÉTICO, se alcança certo estado de consciência com a finalidade de buscar informações sobre o futuro. É um tipo de Transe onde o "vidente" recebe como imagem ou como vozes a informação proveniente dos Guias e Mestres Espirituais, mas não faz nenhum tipo de "jornada" ao Mundo Astral. Esse tipo de Transe foi utilizado pelos profetas bíblicos e pelos videntes do oráculo de Delphi, na Grécia. No ÊXTASE MÍSTICO, o estado alterado de consciência é normalmente alcançado através de mantras, oração, meditação, visualização criativa ou concentração. Os mestres Yogues e místicos cristãos estão normalmente associados a este tipo de Transe, que é utilizado para busca de estados mais elevados de compreensão espiritual e também para manifestação de dons especiais como o poder de curar pessoas doentes.

 
 
 

EXISTEM TRÊS TIPOS DISTINTOS DE RESPOSTAS EXTÁTICAS

 

1 - A resposta fisiológica, onde o corpo exibe um frenesi (tremores, agitação) involuntário.

2 - A resposta sentimental, onde os estados emocionais podem se alternar em medo, paixão, raiva. Ou pode haver sensibilidade emocional durante a percepção de eventos passados ou futuros.

3 - Resposta intuitiva, onde a mente e o corpo têm uma mistura, que permite um deslocamento da percepção linear do espaço/tempo e expansão da consciência.

Estes estados podem todos ser alcançados ao mesmo tempo ou em períodos diferentes da experiência extática. Diferentes técnicas de êxtase podem ser utilizadas por um mesmo iniciado, dependendo da "Missão" a ser executada.

Muitos Magos desenvolvem com o tempo o dom da vidência e se utilizam do Transe Primário (ondas alpha) para comunicar-se em "diversos mundos" simultâneos e inclusive realizar curas no Universo Astral.

Todos os estados de Transe produzem no organismo uma forte descarga de hormônios e outras substancias associadas ao prazer, como endorfina e serotonina. Também já foi provado cientificamente que há grandes alterações no sistema nervoso central, alterando-se completamente os padrões de onda emitidas pelo cérebro em pessoas que acessam os estados de êxtase.

 
 
 

O UMBRAL

 
 


 

 

Há um nível metafísico que mantém os registros kármicos do espaço/tempo. Esse nível é a malha magnética da Terra, no Astral inferior. A malha é o limiar que separa o mundo profundo do plano celestial (portal abaixo, que leva novamente acima) e é por onde as almas nascem na Terra. O útero tem a ver com a morte, não com o céu, e é pelo rio da morte que a alma passa antes de nascer, esquecendo das suas encarnações anteriores. Acima do plano mais profundo, ficam aprisionadas as almas sem luz, sem amor, sem compaixão, e destinadas ao aprisionamento até que as condições Kármicas permitam que elas saiam de lá.

O Umbral, é o nome que hoje se dá a esse lugar.

No Egito antigo, O Umbral era conhecido como "O abismo", onde a Deusa Ammit devorava aqueles que eram julgados como pecadores, os que não agiam de maneira correta em vida. Ammit era o cão do salão do julgamento dos mortos que, por sua vez, eram julgados em sua bondade por meio do seu coração, na balança de Osíris, e dado o peso equivalente a seus atos em vida. Sendo considerada culpada, a alma era destruída por Ammit , devorada e engolida, assim deixando de existir pra sempre.

 
 
 
 


 

 

O "fim" para os egípcios se resumia a Ammit, que destruía suas almas. Ela devorava os corações, e com suas patas rasgava e destruía os corpos.

Existem sub níveis do Umbral, entre eles o Umbral dos suicidas, onde as almas dos suicidas gemem de desespero, medo e abandono. No Umbral dos suicidas, a escuridão é eterna, e as almas estão sempre atacando umas as outras, tentando devorar luz, para poder sair de lá.

 
 
 
 


 

 

No espaço/tempo, as almas ficam presas nos níveis astrais, até que o Karma seja resgatado, e elas tenham consciência para se libertarem do Umbral. Caso contrário, o Eu superior encarna nas vidas futuras uma expressão de si na Terra, com aquilo o que sobrou da alma. Por essa razão, almas encarnadas que possuem partes fragmentadas presas no Umbral, no passado, sentem depressão profunda, aparentemente incurável, pois a causa não está nesta vida.

 
 
 
 


 

 

Holograficamente, a alma presa no Umbral, no passado de outras vidas, pulsa a vibração suicida para a alma encarnada no presente, que não tem como se livrar deste sentimento de profunda dor e separação, de vulnerabilidade e desapego a vida. A única cura possível, a única forma de se livrar da angústia e do ímpeto suicida, é adquirir consciência, Luz, para se auto perdoar, e liberar os fragmentos de almas presos na escuridão.
 

 
 
 
 


 

 

No meu trabalho como Mago a serviço dos meus clientes, eu entro neste Umbral profundo de escuridão, no passado, juntamente com exércitos de Anjos guerreiros, e liberto as almas aprisionadas, levando-as para um portal de Luz na quinta dimensão, além dos hospitais e escolas de almas. Essa permissão foi conquistada pelo meu serviço como guerreiro da Luz, sob as ordens do Arcanjo Uriel, por quem fui iniciado através do meu treinador: Mestre Ariel, também um Anjo guerreiro.